28 de abr de 2008

Peter Park não é Senador

O Homem Aranha A criação de Stan Lee, O Homem Aranha, é um dos mais bem sucedidos quadrinhos da história e um dos mais lidos em todo o mundo.

Stan criou um super-herói humano, com todos os dramas e dúvidas da adolescência, que, empolgado com a descoberta dos seus super poderes, aprende do seu moribundo Tio Ben, uma lição que o acompanhará o resto da vida: "Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades".

Foi esta frase que fez o jovem Peter Parker, na pele do Homem Aranha, iniciar o seu incansável combate ao crime na peculiar cidade de Nova York.

Um senador da República tem super poderes: representa um estado da Federação; é a voz daquele Estado na República; encarna a organização política do povo de um determinado território e é, ao mesmo tempo, o moderador da vontade popular que se faz através dos representantes daquele povo, que são os deputados.

No rastro da operação “Arco de Fogo”, palanques se armaram no município de Tailândia e discursos paradoxais foram feitos: é de uma dialética estranha a fala daqueles que se dizem contra o crime mas defendem um tempo para que ele cesse.

O tempo demandado, é o necessário para que os que vivem da atividade ilegal recebam do Estado a alternativa legal: tal asserção, se permitida, têm conseqüências terríveis se aplicado o princípio constitucional da igualdade de direitos para as outras atividade ilegais que o Estado deve combater.

Em um destes palanques subiu o Senador Flexa Ribeiro e, à guisa de mostrar a sua indignação com a providência da República contra a recorrente ilegalidade da atividade madeireira, prometeu trancar a pauta do Senado da República até que esta suspenda a operação.

A audiência, com certeza, adorou a bravata: alguns por acreditarem que isto seria possível, outros por confiarem que o esforço seria pelo menos tentado.

É claro que tudo não passou de adolescência do Senador Ribeiro, que agiu como o jovem Peter Parker: empolgado com o seu super poderes.

Sabe ele que, mesmo que intentasse consumir a fala, os seus super poderes não seriam suficientes para constranger a República a parar de esgrimir o crime que a “Arco de Fogo” quer combater.

Ao que parece, o Senador Ribeiro nunca leu o “Homem Aranha”. Tão pouco viu o primeiro filme da série, onde Cliff Robertson, no papel do Tio Ben, antes de morrer, admoesta um acabrunhado Peter Parker: “Peter, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades".

O jovem Parker entendeu que a sua grande responsabilidade seria combater todos aqueles que lançassem mão de atividades ilegais.

Seria ótimo para a República se os seus senadores ouvissem o Tio Ben e começassem a combater o crime, ao invés de ameaçarem parar o Senado para que a delinqüência continue a perpetrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário